Literatura em Espanhol

Olá amigos!

 

Fizemos uma lista de bons livros para ler em espanhol.

 

Literatura clássica, afinal aprender outro idioma é entrar em contato com a história e a cultura do idioma que se estuda.

 

São livros para quem já tem um bom conhecimento do idioma espanhol e quer manter contato com essa língua maravilhosa.

 

Segue a lista!

 

 

 

1 – DOM QUIXOTE DE LA MANCHA, DE MIGUEL DE CERVANTES

 

Uma das obras mais conhecidas do mundo, foi escrita entre os anos 1547 e 1616. Conta a história de um homem que viva numa vila super pequena e que lia muito sobre cavalaria. De tanto ler, o homem acaba ficando doido e acreditando nas histórias fantasiosas descritas nos livros. Ele se nomeia Dom Quixote, monta em seu cavalo e sai pelo mundo afora vivendo muitas aventuras e desventuras.

 

2 – CEM ANOS DE SOLIDÃO, DE GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ

 

Obra escrita pelo Ganhador do Prêmio Nobel de Literatura, o colombiano Gabriel Garcia Márquez. Publicado em 1967, o livro narra a incrível e triste história dos Buendía, a estirpe dos solitários para a qual não será dada uma segunda oportunidade sobre a terra.
Por mais ou menos cem anos acompanhamos Macondo e os Buendía.
O vilarejo tem seus anos de glória mas também de decadência e guerra, e em todos esse anos os Buendía estão lá.
Gabriel García Márquez não escreveu um livro totalmente baseado na realidade ou com as histórias bem amarradas: uma pessoa sobe aos céus, outras falam com fantasmas, alguns vivem mais de cem anos e no livro tudo isso é normal; alguns personagens morrem e o autor não nos conta quem os matou e mesmo assim a história é fascinante. Realismo fantástico.

 

3 – PEDRO PÁRAMO, DE JUAN RULFO

 

A história começa com a busca de Juan Preciado pelo pai que não conheceu: Pedro Páramo. Ele decide ir até Comala depois que a mãe, em seu leito de morte, desabafa anos de ressentimento, incentivando-o a procurar o pai não para pedir nada, mas sim para exigir o que lhe era devido por direito: “cobre caro pelo esquecimento em que ele nos colocou, meu filho”.
A partir da combinação de dois elementos essenciais ao sucesso da literatura latino-americana – o realismo fantástico e os regionalismos – Rulfo consegue se destacar por sua habilidade em contar uma história juntando pedaços, às vezes muito breves, de relatos e lembranças. Não à toa, o escritor mexicano é exaltado por grandes nomes, como Gabo e Jorge Luis Borges. A obra de Rulfo não é extensa, mas é, sem dúvida, marcante.

 

4 – A SOMBRA DO VENTO, DE CARLOS RUIZ ZAFÓN

 

“A Sombra do Vento” é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. Ambientado na Barcelona da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, o romance de Zafón é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar. Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder místico dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias. Tudo começa em Barcelona, em 1945. Daniel Sempere está completando 11 anos. Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível: em uma madrugada fantasmagórica, leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos. O lugar, conhecido de poucos barceloneses, é uma biblioteca secreta e labiríntica que funciona como depósito para obras abandonadas pelo mundo, à espera de que alguém as descubra. É lá que Daniel encontra um exemplar de “A Sombra do Vento”, do também barcelonês Julián Carax. O livro desperta no jovem e sensível Daniel um enorme fascínio por aquele autor desconhecido e sua obra, que ele descobre ser vasta. Obcecado, Daniel começa então uma busca pelos outros livros de Carax e, para sua surpresa, descobre que alguém vem queimando sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que o autor já escreveu. Na verdade, o exemplar que Daniel tem em mãos pode ser o último existente. E ele logo irá entender que, se não descobrir a verdade sobre Julián Carax, ele e aqueles que ama poderão ter um destino terrível.

 

Um livro imperdível.